Quinta-feira, 28 de Dezembro de 2006

Pouca-terra, pouca-terra... muita luz, muita luz!

CATS: Acto II, Cena 4 - Skimbleshanks o Gato do Caminho-de-Ferro

   Skimbleshanks... um gato muito brincalhão, que leva o seu “emprego” a sério...

 

“And he gives you a wave of his long brown tail and says ‘I’ll see you again’! You will meet without fail in the midnight rail the cat of the railway train[1]

 

Jemima, entristecida pela história de Gus, aproxima-se de Deuteronomy que a reconforta chamando-lhe a atenção para um gato muito especial: Skimbleshanks. Subitamente a música expulsa o silêncio, a luz volta a dar vida à lixeira e a melodia que se ouve remete-nos como que por magia até uma estação de comboios imaginária...

 

Mas... onde está Skimble? Todos os Jelicais começam a cantar com cordialidade sobre o gato adorado pela tribo inteira, uma espécie de Tio para todos eles. Eles procuram-no em todo o lado, até que as luzes do palco denunciam o local onde Skimble pode ser encontrado a dormir... profundamente!

 

Um aumento no pitch das vozes que procuram por Skimble acorda-o atarantado[2] e ele começa a apressar-se, contando jovialmente sobre as suas responsabilidades de felino residente da Carruagem-Dormitório.

 

Skimble canta sobre a importância de ter um olho sempre aberto… e então depara‑se com Victoria a dar um encontrão a Jellylorum para esta sair do seu lugar, o que o obrigou a intervir. Jelly acabou por lhe dar uma moeda e ele, chegando-se ao lado, deu-lhe uma dentada para ver se era verdadeira! Ao ver que era real, meteu-a ao bolso e continuou na sua monitorização. Desta vez Carbucketty e Bill Bailey estavam a causar alguma agitação… Os gatitos formaram então um meio círculo à volta de Skimble e este começou a falar sobre como dirige as coisas nos seus domínios, e ilustra-o ao simular a caça de um rato, o qual atira para Munkustrap que tem de correr para o apanhar.

 

Basicamente as tarefas de Skimble são as de ajudar os funcionários a manterem os passageiros na zona para qual compraram bilhete, e verificar se os próprios funcionários respeitam as regras, assegurando-se da satisfação de todos os que viajam na sua carruagem.



 

A certa altura os gatitos dispersam-se para novamente se juntarem num esforço para edificarem um modelo em grande escala de um comboio, feito com... o que mais?, pedaços aleatórios do que se pode encontrar naquele grande recreio: rodas de bicicletas, pistões, um foco de luz[3].

 

Durante a improvisação do comboio, vemos os Jelicais a terem papéis diversos na sua construção. Por exemplo, o cano que faz da chaminé do comboio é segurado por Bill Bailey; 3 das rodas são seguradas por Alonzo, Coricopat e Carbucketty; e Cassandra e Victoria seguram no pistão do lado esquerdo. Quando já está tudo pronto, Quaxo dá o toque final e senta-se à frente da pseudo-locomotiva com um holofote[4].

 

Todo contente, ele lá acende a coisa e... zás! Penso que em todos os espectáculos eles tentam encadear alguém, mas em quem é que ele iria acertar com aquele feixe de luz desta vez? Bingo! Em cheio em mim e na minha mãe! E onde havia de acertar em cheio? Bang! Directamente nos nossos olhos!!! Ora muito obrigada ao senhor Pelletier! Perfeito! Não deves ter visto as nossas gesticulações aflitas (quase nos cegaste), ou então estavas a adorar a cena...

 

Mas enfim, a criação dos Jelicais lá se vai movendo com um ruído atractivo (proporcionado pelas queens) para grande satisfação e contentamento de todos até que... oooops, o comboio simplesmente se desintegra todo! Terá apenas acontecido, ou haverá um pequeno erro nas atenções que Skimble deveria ter?!?

 

Coincidências à parte, os Jelicais reprimiram o riso já que não queriam ferir o orgulho de Skimble que queria que tudo corresse perfeitamente. Porém ele também tem um bom sentido de humor e acabou por sorrir, encolheu os ombros e na sua cara estava estampada uma expressão que parecia dizer “enfim...” e sem demoras lá volta ao seu saltitar encantador e conduz o velho Deuteronomy respeitosamente de volta ao seu lugar, antes de subir orgulhosamente a um palanque composto pelas costas robustas de Mungojerrie, e como que em sinal de que tinha acabado de fazer um grande feito, coloca o pé esquerdo em cima dos ombros de Munkustrap.

 

CRASH!...




[1] “E acenando com a sua longa cauda castanha ele diz ‘até à vista’! Voltaremos a encontrar sem falta no correio da meia-noite o gato do comboio do caminho-de-ferro”

[2] 28 de Outubro: quando Skimble deu um salto ao acordar, a minha mãe deu outro salto e soltou um reconhecimento animado: “É o meu gato!” – ela reconheceu o gato a quem havia feito festinhas com o meu pai, e que quase me deitou ao chão!

[3] Efeitos especiais ocasionais, muito bem coordenados, dão a ideia de que sai fumo da chaminé da locomotiva...

[4] 28 de Outubro: durante este espectáculo parece haver uma data de pessoas com quem queremos ajustar contas... desta vez eu e a minha mãe ficamos com uma vontade danada de subir ao palco e tirar o holofote das mãos do engraçadinho (Jean-Claude Pelletier)!

sonhado por zia às 22:23
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De Karura_ a 11 de Janeiro de 2007 às 12:32
Olá! Tive a ver o teu blog, antigo (Zia) e cheguei a este também!
Que bom haver alguém como eu que adora esta série do Aishite Knight! :D
Dá uma olhadela no meu blog, pois falo lá também uma nisca da série, mas não tão aprofundado como tu! Parabéns!! :D Recebi ontem pelo correio o CD da banda sonora da série! :D wiiiii
De José Gomes a 9 de Janeiro de 2007 às 12:59
Então Zia?!!!
Desde o ano passado que não continuas com a tua reportagem sobre os Cats.
vamos lá, tira os ovinhos debaixo dos braços e toca a começar o trabalho!
Um beijo
JG
De José Gomes a 5 de Janeiro de 2007 às 09:55
Bom.
Desta vez não fui o primeiro a deixar o comentário neste teu blogue. Um Bom Ano para ti, com tudo de bom e espero que desta vez consigas concretizar os teus desejos.

Gostei muito de ler a tua descrição da locomotiva. Não me lembrava do "acidente" do foco, mas foi bom seguir o texto e o vídeo e recordar esta cena dos Cats.
Desta vez segui todos os pormenores do vídeo (que está bem conseguido) e deu-me nova perspectiva do espectáculo.
Bom trabalho. Continua.
Um beijo.
JG
De sandra daniela a 31 de Dezembro de 2006 às 17:19
vim deixar um beijinho e desejos de um bom ano!!! cheio de alegrias e um arco iris no coração!!!!

Comentar post

mais sobre mim

:::pesquisar aishitenight:::

 

:::tags:::

Todas as tags deste blog

:::luas recentes:::

Será que ainda me lembro?

Dia da Criança...

A Viagem...

Greve Geral

Bristol - 9 de Dezembro d...

A nova versão do YMCA!!! ...

Macavity - The Mistery Ca...

Atestados de Burrice...

"Eu não gosto de carne de...

Hamlet para todos!

Guerra e Paz para todos!

Feliz Dia Mundial do Teat...

O estado negro da educaçã...

Tartaruga suicida... e fu...

Memória...

Tudo está bem quando acab...

Respeito precisa-se...

A Escolha Jelical

Que a memória viva para s...

Acreditas em magia?!?

O Napoleão do Crime

Never Gone... Never Far.....

Pouca-terra, pouca-terra....

Fantasmas do passado...

Um gato especial

De gatos malandros e caix...

Silêncio... nem um som da...

8 minutos de cortar a res...

Ladrar ou não ladrar, eis...

O gato das 7 vidas...

:::noites passadas:::

Outubro 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

::: links :::

Anastasia
Anime News Network
Astérix et Obélix
BeeHive
Best Anime
Blog da Pimentinha
BRB Internacional
Broadway
Broadway - The Lion King
Catedral
Christian Kurrat
Chuviscos
Misteriosas Cidades d'Ouro
Disney
Disney on Broadway
Do What You Dream
Door to Fantasia
Kemet
Kiss Me Licia
Liquid Experience
Me, Myself and I
Movimentum...
Movimentum 2...
Mulher dos 50 aos 60
NASA
National Geographic
Niekonczaca Sie Opowiesc
per-Bast
Photograhy Directory
The NeverEnding Story
The Temple of Bast
The Universe of Shoujo Manga
Timor Aid
Tintim
TV Series
TV Wunschliste

:::favoritos:::

A nova versão do YMCA!!! ...

Respeito precisa-se...

Que a memória viva para s...

Pouca-terra, pouca-terra....

Fantasmas do passado...

De gatos malandros e caix...

Um gato do contra...

Os Jelicais podem...

Problemas com baratas des...

Hamlet para todos!

:::tags:::

Todas as tags deste blog

subscrever feeds

5euromails.com